Saiba agora porque implantar o RH estratégico na sua empresa!

O RH estratégico está inserido em um modelo de gestão que admite diversas ferramentas para atingir a eficiência dos processos e a motivação dos colaboradores. Além disso, ele interage integralmente com os outros setores de uma empresa.

Isso é o que diferencia o RH estratégico do tradicional, que visa apenas o recrutamento e seleção de pessoal. Já o estratégico, visa potencializar e desenvolver melhor os seus profissionais.

Neste post, explicaremos exatamente o que é o RH estratégico e quais são as vantagens de sua implementação. Continue com a leitura até o fim!

O que exatamente é o RH estratégico?

Nem sempre o RH foi visto como fundamental ou estratégico pelas empresas. Em épocas remotas, como a Primeira Revolução Industrial, os trabalhadores eram vistos apenas como instrumentos de trabalho, sem muitos direitos, porém com muitas obrigações.

Assim, surgiu o RH, para estabelecer um equilíbrio entre funcionário e empresa, com objetivo de gerar vantagens para ambos os lados. Antigamente, era um setor bem operacional, o qual tratava mais de questões burocráticas e rotinas.

À medida que o mercado foi progredindo, houve a necessidade de mudanças no RH, a fim de oferecer funções mais estratégicas e arrojadas.

Agora, o RH estratégico faz a gestão integrada entre todos os setores de uma organização, o qual também participa de seu planejamento e decisões importantes. Os gestores devem trabalhar sempre alinhados ao objetivo da empresa em geral, assim como em seu setor.

Esse método foca no desenvolvimento de pessoas e empresas, utilizando técnicas modernas para o crescimento dos negócios e de seus funcionários, sempre com o objetivo de beneficiar mutuamente as partes.

Como implementar o RH estratégico em uma empresa?

Para transformar o RH tradicional de sua empresa em um método estratégico para os negócios, é necessário seguir alguns passos. Dentre eles podemos destacar:

Mapeie os processos da empresa

De forma clara e simples, o mapeamento de processos identifica as informações, o fluxo dos dados das partes envolvidas, as capacidades e recursos da organização como um todo. Com todas essas informações, o RH consegue ter uma visão holística dos processos e pessoas a serem melhor trabalhados dentro da empresa.

Implante novos processos e ferramentas

Novos processos e ferramentas de auxílio à gestão sempre são lançados no mercado. Aproveite para atualizar o seu negócio com técnicas avançadas, como a gamificação e o brainstorming, os quais promovem uma melhor interação entre pessoas. Nesses momentos, podem surgir novas ideias para alavancar o sucesso dos negócios.

Retenha novos talentos

Não basta apenas selecionar bons colaboradores para sua empresa. É preciso também estimular a sua permanência na organização. Desse modo, desenvolva políticas internas de retenção de talentos, para que eles continuem motivados a contribuir para o progresso da empresa.

Acompanhe regularmente as métricas de resultados

Medir os resultados é fundamental para que a estratégia siga alinhada aos objetivos da empresa. Assim, fica mais fácil para o RH estratégico estabelecer metas e tomar melhores decisões em diferentes situações. Para isso, adote KPI’s que serão capazes de demonstrar realmente as condições da organização.

Conte com a tecnologia

Para obter resultados eficientes, é necessário contar com as novas tecnologias desenvolvidas, como o trabalho remoto, entrevistas à distância, entre outros, de modo a serem usadas sempre a favor do crescimento da companhia. Também, é essencial ter um software de recrutamento e seleção, que automatize boa parte do processo e torne a triagem dos candidatos mais efetiva.

Quais as vantagens de implementar o RH estratégico?

Com o RH estratégico, é possível obter as seguintes vantagens:

  • melhor adequação dos colaboradores às perspectivas da empresa;
  • integração de atividades;
  • eficiência no recrutamento e seleção de pessoal;
  • diminuição da rotatividade de funcionários;
  • proporciona um ambiente de trabalho mais produtivo, etc.

Agora que você já conhece os principais pontos de um RH estratégico, é hora de colocar tudo isso em prática. Com isso, será possível manter-se à frente no mercado e posicionar-se como uma boa empresa para trabalhar e crescer o que, consequentemente, acarreta no sucesso total da empresa.

Gostou do nosso post sobre RH estratégico? Aproveite a sua visita e conheça também sobre a avaliação comportamental, por que sua empresa não pode deixar de fazer!

Competências técnicas e comportamentais: afinal, o que são?

Competências técnicas e comportamentais trabalham com a aptidão profissional das pessoas e suas características individuais. Antigamente, bastava ter um diploma para demonstrar as suas habilidades. Entretanto, nos dias de hoje, as empresas estão exigindo que essas habilidades sejam realmente comprovadas.

A companhia que deseja ter um bom profissional para compor a sua equipe de trabalho deve buscar essas duas particularidades em seus candidatos. Dessa forma, o colaborador poderá realizar um trabalho eficiente e de acordo com as exigências e a cultura da organização.

As duas competências  têm as suas especificidades. Pensando nisso, desenvolvemos este post com informações importantes sobre o que elas são e quando devem ser observadas dentro das organizações. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!  

O que são competências técnicas e comportamentais?  

Competências são virtudes que um profissional possui para desenvolver determinada tarefa ou função. Elas estão diretamente relacionadas às suas habilidades, conhecimento e atitudes para executar o seu trabalho.

Assim, as competências comportamentais estão ligadas a capacidade que uma pessoa tem de  se adaptar à cultura da empresa. Essas habilidades podem ser:

  • criatividade;
  • transparência;
  • colaboração;
  • comunidade;
  • inteligência emocional,
  • compartilhamento;
  • mindfulness;
  • empatia;
  • capacidade de experimentação;
  • e espírito empreendedor.

Elas podem ser desenvolvidas com o profissional durante a sua permanência na empresa. Porém, é imprescindível detectar que o candidato tenha o perfil ideal para ser inserido no processo.

As competências técnicas estão relacionadas ao conhecimento adquirido por meio de sua formação profissional e pelas experiências vivencidas no exercício das suas funções profissionais. Por exemplo:

  • graduação;
  • idiomas;
  • especialização;
  • método de trabalho, etc.

Assim, com essas competências a pessoa demonstra seus atributos que correspondam à qualificação para o bom desempenho da atividade que lhe for designada.

Quando considerá-las?

São diversas as situações em que essas competências devem ser levadas em conta em uma empresa. Veja algumas delas.

Avaliação de funcionários

É muito importante detectar o desenvolvimento do colaborador durante a sua permanência na empresa. Assim, se faz necessário testar as suas habilidades. Uma boa maneira de medir isso é aplicando a avaliação de desempenho.

É recomendável que essa avaliação seja feita de acordo com as competências necessárias para cada cargo.

Antes de uma promoção

Nesse caso, as competências devem ser verificadas para atestar se o candidato está realmente preparado para receber essa promoção, ou seja, se ele realmente demonstrou as qualificações para encarar novos desafios dentro da empresa.

O ideal é que a organização tenha um perfil traçado para todos os cargos. Assim, ficará mais fácil de detectar tais habilidades em cada candidato. A avaliação de desempenho também é uma ótima ferramenta para ser utilizada nesse caso.

Mapeamento do perfil ideal para determinado cargo

Por meio da análise das competências técnicas e comportamentais é possível traçar o perfil ideal de um colaborador para um determinado cargo. Dessa forma, as habilidades ditarão a forma como as atividades devem ser desempenhadas, assim como o perfil adequado para ocupar determinada vaga.

Antes de tudo, é preciso descrever minuciosamente as atividades do cargo com a sua identificação, organograma, missão, atividades, experiências, entre outros.

Processo de seleção

Avaliar as competências técnicas e comportamentais é fundamental para a escolha certa do profissional de acordo com as necessidades da organização.

Uma ferramenta muito utilizada pelos recrutadores para aferir essas habilidades é o teste DISC. Ele considera quatro principais determinantes: influência, dominância, conformidade e estabilidade. Cada um pode estar presente em menor ou maior grau nos profissionais, desenhando sua maneira de agir no dia a dia.

Trabalhar com as competências técnicas e comportamentais é fundamental para obter sucesso nas contratações e reter talentos. Dessa forma, não deixe de aplicar esses conhecimentos na sua instituição. Dessa forma, o empreendimento mantém equipes eficientes e amplia o valor no mercado.

Gostou do nosso post sobre competências técnicas e comportamentais? Aproveite e compartilhe nas suas redes sociais para que seus colegas de trabalho e profissionais da área também entendam sobre o assunto!

 

Inclusão nas organizações: como trazer mais diversidade para a empresa?

Na atualidade, é muito importante que as empresas tenham interesse em investir em diversidade e inclusão, pois é algo que gera valor para a marca. Além disso, demonstra o quanto a instituição respeita o ser humano como um todo e está preocupada com a parte social. Desse modo, ter mais inclusão nas organizações é a melhor forma de torná-las mais plural e democrática.

Neste post, apresentaremos algumas dicas de como a sua empresa pode investir em mais diversidade e inclusão. Confira! 

Não generalize

Umas das principais dicas para trazer mais diversidade para a sua empresa é não fazer generalizações. Isso porque cada indivíduo tem características e necessidades distintas que não podem ser compradas. Assim, generalizar todos os candidatos é um sério erro.

O ideal é que a sua organização faça um processo seletivo pautado em informações sobre quais são as adaptações necessárias para cada candidato, levando em consideração que os ajustes devem ser feitos para que os selecionados se sintam acolhidos pela empresa. 

Trate todos igualmente

Além de não fazer generalizações, outra dica essencial é tratar todos igualmente para mais inclusão nas organizações. Para isso, a preocupação da sua empresa deve ser garantir chances iguais para todos, de modo a eliminar qualquer discriminação baseada em cor, raça, sexo, religião, origem social etc. 

Otimize técnicas de recrutamento

Outra orientação para proporcionar mais diversidade para a sua empresa é com a otimização das técnicas de recrutamento. Atualmente, temos várias técnicas e metodologias de recrutamento para atrair talentos e promover a diversidade, sendo que a utilização desses recursos é de suma importância para realizar processos seletivos mais justos.

Para otimizar essas técnicas, é preciso que os profissionais de RH tenham capacitação no campo da inclusão e da diversidade humana. Com isso, é possível ter entendimento sobre o tipo de deficiência apresentado pelo candidato, assim como as condições físicas e psicológicas que a empresa vai oferecer para que ele desenvolva seu trabalho. 

Melhore a acessibilidade

Para tornar uma empresa mais inclusiva, é fundamental melhorar a acessibilidade do local de trabalho. Aliás, essa é uma das exigências da Lei de Cotas e da Lei de Acessibilidade para fazer com que as organizações possam adequar os seus ambientes e torná-los mais inclusivos. 

Assim, invista em um espaço físico que comporte, confortavelmente, pessoas com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida, de forma que os colaboradores possam executar as suas atividades sem maiores esforços.  

Implante a cultura de oportunidades

Por fim, para a sua empresa poder investir em mais diversidade e inclusão, é essencial implantar a cultura de oportunidades para que todos possam ter as mesmas chances de crescer dentro da organização por meio de uma gestão justa de cargos e salários.

Para isso, é válido contar com o auxílio de um sistema de gestão de pessoas, para o fornecimento de indicadores, como cargos e salários, análise de desempenho, perfil comportamental etc. Com a ajuda desse software, será mais fácil desenvolver a cultura de oportunidades e a promoção da diversidade. 

Neste post, abordamos algumas orientações para a inclusão nas organizações. Vale destacar que as empresas precisam fazer investimentos para implantar a diversidade e a inclusão, como a necessidade de treinamentos constantes sobre o tema aos colaboradores para a construção de um ambiente de trabalho harmônico e respeitoso

Então, gostou da leitura? Deixe o seu comentário no post, pois estamos à disposição para responder as suas dúvidas! 

Como avaliar a performance de um funcionário temporário?

Final de ano é uma das épocas em que mais se contrata funcionário temporário. A partir daí muitos conseguem a efetivação no emprego, o que para a empresa é muito bom, pois tem a possibilidade de agregar ao seu time uma pessoa que já demonstrou empenho no desenvolvimento das tarefas.

Avaliar esse tipo de colaborador é um desafio para muitas organizações, já que ele pode ou não ser efetivado ao final do contrato. Essa contratação tem um alto valor estratégico para as companhias, seja para auxiliar em projetos sazonais, suprir maiores demandas em períodos específicos, ou trazer uma visão diferente para o negócio.

Neste post, trouxemos algumas dicas sobre como deve ser feita essa avaliação. Acompanhe!

Desenvolva um processo de notas para as tarefas dadas

Para fazer uma boa avaliação do funcionário temporário, o ideal é elaborar um checklist de todas as atividades que ele deverá desenvolver nesse período. Com o auxílio de uma planilha, de preferência utilizando o excel, detalhe cada uma de suas atividades em uma coluna e faça outra para atribuir notas.

Essa notas podem ser numéricas, avaliando por exemplo de 1 a 5, escala em que 5 é excelente e 1 fraco. Também é possível conceituando em regular, bom, muito bom e excelente. No final, você avalia o desempenho do colaborador em cada aspecto, podendo perceber em qual atividade ele se destaca mais, o que possibilita a empresa encaixá-lo melhor dentro da organização.

Considere a curva de aprendizado permitida no tempo de serviço

Funcionários gastam menos tempo para executar uma determinada tarefa à medida que são repetidas. Isso acontece pela familiaridade adquirida no cargo, pela pela descoberta de atalhos que facilitem o desempenho da atividade, assim como pela adaptação às ferramentas utilizadas.

Nesse caso, os gestores podem utilizar ferramentas matemáticas que permitem medir o desempenho do funcionário por meio do método de regressão linear e não linear utilizando software de análise estatística.

As informações são recolhidas em um certo período de tempo, sendo construída então a curva de aprendizado em um gráfico, o qual mostrará uma diminuição do esforço desempenhado por unidade de operações repetitivas.

Utilize ferramentas para avaliação de desempenho

Existem algumas metodologias aplicadas nas empresas para medir a performance de um funcionário. Elas também são utilizadas para as reavaliações que podem ser reaplicadas a cada três ou  seis meses. Algumas delas são:

Avaliação por competências

Na avaliação por competências, são elencadas todas as competências que o funcionário temporário precisa trabalhar para cumprir com as suas funções dentro da organização. A partir desse momento, é possível avaliar quais foram ou não desenvolvidas.

Avaliação por objetivos

Nesse tipo de avaliação é julgado o desempenho do trabalhador conforme os objetivos e metas específicos que ele deve cumprir até o fim de seu contrato de trabalho.

Avaliação por escolha forçada

Nela, é possível listar características e solicitar que o funcionário indique aquela que mais tem afinidade e a que ele menos se identifica.

Considere a opinião da equipe fixa

É muito bom ouvir a opinião de quem trabalhou lado a lado com o funcionário temporário nesse período de tempo. Além de valorizar os seus outros colaboradores ao buscar a sua opinião, você terá referências do trabalho desenvolvido no dia a dia do colaborador temporário. Levante informações sobre o seu comportamento ao realizar as atividades, a sua proatividade, subordinação, entre outras características.

Além disso, é possível verificar o desenvolvimento do seu trabalho em equipe, que é fundamental para que as atividades diárias sejam realizadas com eficiência.

Analise a possibilidade de contratar uma empresa terceirizada para ajudar nessa gestão

Visto que avaliar a performance de um funcionário temporário em um curto espaço de tempo não é nada fácil, considerar a contratação de uma empresa especializada para esse tipo de atividade pode tornar o caminho mais fácil. Essas empresas já são preparadas para esse tipo de situação, o que tornará a avaliação de performance mais eficiente, trazendo bons resultados para empresa na efetivação de funcionário temporário.

Se você está em busca desse auxílio, que tal entrar em contato conosco? A Socium terá o maior prazer em atender você e oferecerá as melhores condições para a sua empresa.

Conheça o teste psicológico para recrutamento e seleção

Os testes psicológicos para recrutamento e seleção são bastante comuns e podem gerar bons resultados em uma empresa. Isso porque são eles que determinam se o perfil do candidato está ou não alinhado à cultura organizacional da companhia. Dessa forma, a escolha do candidato torna-se um processo mais eficiente, o que acarreta a contratação de profissionais que realmente contribuirão para o crescimento da organização.

Neste post, explicaremos como funciona um teste psicológico no processo de recrutamento e seleção, permitindo que você avalie a possibilidade de incorporar essa prática em sua empresa. Acompanhe e faça boa leitura!

O que os testes psicológicos para recrutamento e seleção avaliam?

Por meio dos testes psicológicos, é possível fazer a identificação de traços de personalidade e características relevantes para o desempenho do funcionário, proporcionando uma melhor triagem dos candidatos que conseguirão se encaixar na empresa. Os responsáveis pela aplicação e análise são os psicólogos.

As avaliações podem ser feitas durante a seleção de candidatos a uma vaga de trabalho. Em geral, são realizadas no mesmo ciclo de dinâmicas e entrevistas, a fim de complementar essa fase do recrutamento e revelar particularidades que não foram percebidas pelos selecionadores.

Ao escolher um pessoal com as características exigidas pela empresa e que se encaixam no seu fit cultural, é possível realizar uma contratação mais acertada e, como consequência disso, os índices de rotatividade de funcionários são diminuídos.

Quais são as principais técnicas utilizadas?

Para a selecionar pessoas, alguns tipos de testes psicológicos são utilizados com mais incidência. Dentre eles podemos destacar:

Inventário Fatorial de Personalidade (IFP)

Desenvolvido conforme a teoria das necessidades básicas de Henry Murray, o IFP analisa o indivíduo de acordo com os 15 fundamentos psicológicos, detalhados a seguir:

  • afago;
  • afiliação e autonomia.
  • agressão;
  • assistência;
  • deferência;
  • denegação;
  • desempenho;
  • dominância;
  • exibição;
  • heterossexualidade;
  • intracepção;
  • mudança;
  • ordem;
  • persistência;

Atenção Concentrada (AC)

Com esse teste, é possível identificar a capacidade de concentração do candidato durante um tempo pré-estabelecido. Para isso, a pessoa recebe uma folha com vários triângulos de diferentes tamanhos e precisa assimilar linhas e marcas ocupados por ele. O teste pode ser aplicado em grupo ou individual.

É ideal para profissionais que precisam de um foco maior durante a realização de suas atividades, como redatores e telefonistas.

Bateria de Provas de Raciocínio (BPR)

Esse teste avalia o raciocínio lógico dos indivíduos. É recomendável para cargos que exigem a solução de problemas de forma rápida. Além disso, ele auxilia na identificação das orientações vocacionais.

Quais são os resultados esperados com a aplicação dos testes psicológicos?

Essas análises são importantes para entender melhor se o candidato conseguirá se adaptar bem à realidade da empresa. Ou seja, será possível verificar se o indivíduo tem o perfil necessário para absorver a cultura da organização, se terá um bom relacionamento com os colegas de trabalho e se consegue entregar bons resultados.

Vale ressaltar, ainda, que não existe um resultado certo, mas sim aquele que é mais próximo ao perfil que a organização busca.

Com a aplicação de testes psicológicos para recrutamento e seleção, a empresa se beneficia com a queda do turnover e pode aumentar bastante seus índices de produtividade. Desse modo, vale a pena investir nessa técnica de captação de pessoal. Aproveite agora os seus conhecimentos e implante essa metodologia na sua empresa.

Gostou do nosso post sobre testes psicológicos para recrutamento e seleção? Se ficou alguma dúvida ou deseja compartilhar alguma opinião, deixe seu comentário!